Cristo está na sua vida?...

Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores... Mateus 7:15

Somos seguidores de Cristo, não de homens - Gálatas 1:10        

Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2004

- Dê primazia ao Ministério cristão




Dê primazia ao Ministério cristão

 





Tal como Davi, seu filho Salomão no principio do seu reinado colocou em primeiro lugar a adoração pura a Jeová e a reconstrução do Templo.


Como tal o reinado de Salomão oferece-nos um vislumbre profético do futuro.


O governo de Salomão foi uma época de genuína paz e segurança, isto prefigura muito bem o reinado pacifico do Messias.
Para entendermos o que Salomão fez em prol da adoração verdadeira e do bem estar do povo.



Leia 2 Crónica 8:1–16






1 E sucedeu, ao fim de vinte anos, nos quais Salomão
havia construído a casa de Jeová e a sua própria casa, 2
que as cidades que Hirão tinha dado a Salomão — Salomão as
reconstruiu e então fez os filhos de Israel morar ali. 3
Outrossim, Salomão foi a Hamate-Zobá e prevaleceu sobre ela. 4
Então reconstruiu Tadmor, no ermo, e todas as cidades-armazéns que
havia construído em Hamate. 5 E prosseguiu, construindo
Bete-Horom Alta e Bete-Horom Baixa, cidades fortificadas com
muralhas, portas e tranca, 6 e Baalate e todas as
cidades-armazéns que vieram a ser de Salomão, e todas as cidades
de carros e as cidades para os cavaleiros, e toda coisa desejável
de Salomão, que ele desejou construir em Jerusalém e no Líbano, e
em toda a terra do seu domínio. 7 Quanto a todo o povo que
sobrava dos hititas, e dos amorreus, e dos perizeus, e dos heveus,
e dos jebuseus, que não eram parte de Israel, 8 dos seus
filhos que tinham sobrado depois deles no país, que os filhos de
Israel não tinham exterminado, Salomão fazia deles homens de
trabalho forçado até o dia de hoje. 9 Mas não havia nenhuns
dentre os filhos de Israel que Salomão constituísse escravos para
a sua obra; pois eram guerreiros, e chefes dos seus
ajudantes-de-ordens, e chefes dos seus condutores de carros e dos
seus cavaleiros. 10 Estes eram os chefes dos prepostos que
pertenciam ao Rei Salomão, duzentos e cinqüenta, os capatazes
sobre o povo. 11 E Salomão fez subir a filha de Faraó da
Cidade de Davi à casa que tinha construído para ela, porque disse:
“Embora seja esposa minha, não deve morar na casa de Davi, o rei
de Israel, porque os lugares aos quais chegou a arca de Jeová são
algo sagrado.” 12 Foi então que Salomão ofereceu a Jeová
sacrifícios queimados sobre o altar de Jeová, que tinha construído
diante do pórtico, 13 sim, como questão rotineira diária,
para fazer ofertas segundo o mandamento de Moisés para os sábados,
e para as luas novas, e para as festividades determinadas três
vezes no ano, na festividade dos pães não fermentados, e na
festividade das semanas, e na festividade das barracas. 14
Além disso, pôs turmas dos sacerdotes sobre os seus serviços
segundo a regra de Davi, seu pai, e os levitas nos seus postos de
dever, para que louvassem e ministrassem diante dos sacerdotes
como questão rotineira diária, e os porteiros nas suas turmas para
os diversos portões, porque tal foi o mandamento de Davi, o homem
do [verdadeiro] Deus. 15 E eles não se desviaram do
mandamento do rei aos sacerdotes e aos levitas referente a
qualquer assunto e referente aos suprimentos. 16 De modo
que a obra de Salomão estava toda num estado preparado desde o dia
em que se lançou o alicerce da casa de Jeová até que ela foi
acabada. [De modo que] a casa de Jeová estava completa.




Se  pensarmos na congregação cristã assemelhada a um “ templo
santo para Jeová... lugar para Deus habitar por Espirito” e que
todas as pessoas semelhantes a ovelhas são convidadas a prestar a
Deus serviço sagrado em intima associação com o restante daquela
classe do santuário ainda sobre a terra, somos ajudados a imaginar
a seriedade e o escopo da obra ministerial que tem de ser feita no serviço a Jeová.








Isto é bem ilustrado pelas provisões que Salomão fez de serviços
regulares no Templo, tais como “ os Levitas em seus postos de
dever, para louvar e para ministrar em frente aos sacerdotes, como
rotina diária. “ tal serviço ministerial havia de ser realizado em
intima união, tanto em palavras como em acção. Conforme

2
Crónicas 8:14
.
Quer
no passado


quer nos dias de hoje o objectivo é crescer espiritualmente e
progredir á madureza cristã, tanto colectiva como individualmente,
tendo como cabeça a Cristo.






Tenhamos em mente as palavras do
apóstolo Paulo em

Efésios 4:11-16 







11 E ele deu alguns como
apóstolos, alguns como profetas, alguns como evangelizadores,
alguns como pastores e instrutores, 12 visando o
reajustamento dos santos para a obra ministerial, para a
edificação do corpo do Cristo, 13 até que todos alcancemos
a unidade na fé e no conhecimento exacto do Filho de Deus, como
homem plenamente desenvolvido, à medida da estatura que pertence à
plenitude do Cristo, 14 a fim de que não sejamos mais
pequeninos, jogados como que por ondas e levados para cá e para lá
por todo vento de ensino, pela velhacaria de homens, pela astúcia
em maquinar o erro. 15 Mas, falando a verdade, cresçamos
pelo amor em todas as coisas naquele que é a cabeça, Cristo. 16
Da parte dele, todo o corpo, por ser harmoniosamente conjuntado e
feito cooperar por toda junta que dá o necessário, segundo o
funcionamento de cada membro respectivo, na devida medida, produz
o desenvolvimento do corpo para a edificação de si mesmo em amor.



Isto abrange a todos, homens e mulheres,
não importa quão jovens e imaturos, nem importa quão idosos e
débeis. Como se dá com o corpo humano, o menor dos membros
desempenha a sua parte, na devida medida. cada um de nós deve
cumprir sua parte no ministério de evangelização ao serviço de
Deus.


Não esqueçamos que o nosso serviço a Deus
compreende as 24 horas do dia e que deve ser a principal
actividade de nossas vidas, pois dele depende nossa salvação.





 


 

[Error: Irreparable invalid markup ('<font [...] <div>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<table border="50" cellpadding="50" cellspacing="50" style="border-left:50px solid #006600; border-right:50px solid #006600; border-top:50px solid #008000; border-bottom:50px solid #008000; " bordercolor="#00FF00" width="100%" bgcolor="#C0C0C0">
<tr>
<td width="100%" bgcolor="#CCCCCC"><div align="center">
<center>
<p><DIV align=center>
<FONT
color=#783f36 face="Bernard MT Condensed" size="6">Dê primazia ao Ministério cristão</FONT></DIV>
<DIV align=center> </DIV>
<DIV align=center>
<FONT face="Arial" size="4">
<DIV align=justify>
<p class="MsoBodyText" style="text-align: justify; text-autospace: ideograph-numeric ideograph-other">
Tal como Davi, seu filho Salomão no principio do seu reinado colocou em primeiro lugar a adoração pura a Jeová e a reconstrução do Templo.<br><br>
Como tal o reinado de Salomão oferece-nos um vislumbre profético do futuro.<br><br>
O governo de Salomão foi uma época de genuína paz e segurança, isto prefigura muito bem o reinado pacifico do Messias.
Para entendermos o que Salomão fez em prol da adoração verdadeira e do bem estar do povo.
</font>
<FONT face="Comic Sans MS" size=4 color="#0000FF">
<p class="MsoNormal" align="center" style="text-align:center"><b>
<i>Leia 2 Crónica 8:1–16</i></b></p>

<FONT size=2 color="#808080">

<span style="font-size:10.0pt;font-family:Arial">
<b>1</b> E sucedeu, ao fim de vinte anos, nos quais Salomão
havia construído a casa de Jeová e a sua própria casa, <b>2</b>
que as cidades que Hirão tinha dado a Salomão — Salomão as
reconstruiu e então fez os filhos de Israel morar ali. <b>3</b>
Outrossim, Salomão foi a Hamate-Zobá e prevaleceu sobre ela. <b>4</b>
Então reconstruiu Tadmor, no ermo, e todas as cidades-armazéns que
havia construído em Hamate. <b>5</b> E prosseguiu, construindo
Bete-Horom Alta e Bete-Horom Baixa, cidades fortificadas com
muralhas, portas e tranca, <b>6</b> e Baalate e todas as
cidades-armazéns que vieram a ser de Salomão, e todas as cidades
de carros e as cidades para os cavaleiros, e toda coisa desejável
de Salomão, que ele desejou construir em Jerusalém e no Líbano, e
em toda a terra do seu domínio. <b>7</b> Quanto a todo o povo que
sobrava dos hititas, e dos amorreus, e dos perizeus, e dos heveus,
e dos jebuseus, que não eram parte de Israel, <b>8</b> dos seus
filhos que tinham sobrado depois deles no país, que os filhos de
Israel não tinham exterminado, Salomão fazia deles homens de
trabalho forçado até o dia de hoje. <b>9</b> Mas não havia nenhuns
dentre os filhos de Israel que Salomão constituísse escravos para
a sua obra; pois eram guerreiros, e chefes dos seus
ajudantes-de-ordens, e chefes dos seus condutores de carros e dos
seus cavaleiros. <b>10</b> Estes eram os chefes dos prepostos que
pertenciam ao Rei Salomão, duzentos e cinqüenta, os capatazes
sobre o povo. <b>11</b> E Salomão fez subir a filha de Faraó da
Cidade de Davi à casa que tinha construído para ela, porque disse:
“Embora seja esposa minha, não deve morar na casa de Davi, o rei
de Israel, porque os lugares aos quais chegou a arca de Jeová são
algo sagrado.” <b>12</b> Foi então que Salomão ofereceu a Jeová
sacrifícios queimados sobre o altar de Jeová, que tinha construído
diante do pórtico, <b>13</b> sim, como questão rotineira diária,
para fazer ofertas segundo o mandamento de Moisés para os sábados,
e para as luas novas, e para as festividades determinadas três
vezes no ano, na festividade dos pães não fermentados, e na
festividade das semanas, e na festividade das barracas. <b>14</b>
Além disso, pôs turmas dos sacerdotes sobre os seus serviços
segundo a regra de Davi, seu pai, e os levitas nos seus postos de
dever, para que louvassem e ministrassem diante dos sacerdotes
como questão rotineira diária, e os porteiros nas suas turmas para
os diversos portões, porque tal foi o mandamento de Davi, o homem
do [verdadeiro] Deus. <b>15</b> E eles não se desviaram do
mandamento do rei aos sacerdotes e aos levitas referente a
qualquer assunto e referente aos suprimentos. <b>16</b> De modo
que a obra de Salomão estava toda num estado preparado desde o dia
em que se lançou o alicerce da casa de Jeová até que ela foi
acabada. [De modo que] a casa de Jeová estava completa.</span></p>
</FONT></font><FONT face="Arial" size=4>
<p class="MsoNormal" style="text-align:justify">
Se  pensarmos na congregação cristã assemelhada a um “ templo
santo para Jeová... lugar para Deus habitar por Espirito” e que
todas as pessoas semelhantes a ovelhas são convidadas a prestar a
Deus serviço sagrado em intima associação com o restante daquela
classe do santuário ainda sobre a terra, somos ajudados a imaginar
a seriedade e o escopo da obra ministerial que tem de ser feita no serviço a Jeová.</p>
</FONT>
<FONT face="Comic Sans MS" size=4>
<p class="MsoNormal" style="text-align:justify">
</font>
<span style="font-size: 14.0pt">
<FONT face="Arial" size=4>
Isto é bem ilustrado pelas provisões que Salomão fez de serviços
regulares no Templo, tais como “ os Levitas em seus postos de
dever, para louvar e para ministrar em frente aos sacerdotes, como
rotina diária. “ tal serviço ministerial havia de ser realizado em
intima união, tanto em palavras como em acção. Conforme</FONT><FONT face="Arial" size=4 color="#0000FF">
<span style="color:teal">2
Crónicas 8:14</span>.</FONT><FONT face="Arial" size=4><FONT size=4>Quer
no passado</font><FONT size=4 color="#0000FF"> </font>
<FONT size=4>
quer nos dias de hoje o objectivo é crescer espiritualmente e
progredir á madureza cristã, tanto colectiva como individualmente,
tendo como cabeça a Cristo.</font></FONT></span><FONT face="Comic Sans MS" size=4></p>
<p class="MsoNormal" style="text-align:justify">
</FONT>
<span style="font-size: 14.0pt">
<FONT face="Arial" size=4>
Tenhamos em mente as palavras do
apóstolo Paulo em</FONT><FONT face="Arial" size=4 color="#0000FF">
<span style="color:teal">Efésios 4:11-16</span>  </FONT>
</span>
<FONT face="Comic Sans MS" size=4 color="#0000FF">
</p>
</font>
<FONT face="Comic Sans MS" color="#808080" size="2">
<p class="MsoNormal" style="text-align: justify; text-autospace: none">
<span style="font-family: Arial"><b>11</b> E ele deu alguns como
apóstolos, alguns como profetas, alguns como evangelizadores,
alguns como pastores e instrutores, <b>12</b> visando o
reajustamento dos santos para a obra ministerial, para a
edificação do corpo do Cristo, <b>13</b> até que todos alcancemos
a unidade na fé e no conhecimento exacto do Filho de Deus, como
homem plenamente desenvolvido, à medida da estatura que pertence à
plenitude do Cristo, <b>14</b> a fim de que não sejamos mais
pequeninos, jogados como que por ondas e levados para cá e para lá
por todo vento de ensino, pela velhacaria de homens, pela astúcia
em maquinar o erro. <b>15</b> Mas, falando a verdade, cresçamos
pelo amor em todas as coisas naquele que é a cabeça, Cristo. <b>16</b>
Da parte dele, todo o corpo, por ser harmoniosamente conjuntado e
feito cooperar por toda junta que dá o necessário, segundo o
funcionamento de cada membro respectivo, na devida medida, produz
o desenvolvimento do corpo para a edificação de si mesmo em amor.</span></p>
</FONT><FONT face="Arial" size=4>
<p class="MsoBodyText2">Isto abrange a todos, homens e mulheres,
não importa quão jovens e imaturos, nem importa quão idosos e
débeis. Como se dá com o corpo humano, o menor dos membros
desempenha a sua parte, na devida medida. cada um de nós deve
cumprir sua parte no ministério de evangelização ao serviço de
Deus. </p>
<p class="MsoBodyText2">Não esqueçamos que o nosso serviço a Deus
compreende as 24 horas do dia e que deve ser a principal
actividade de nossas vidas, pois dele depende nossa salvação. </p>
</FONT>
<FONT face="Comic Sans MS" size=4 color="#0000FF">
<p class="MsoNormal" style="text-align: justify; text-autospace: none">
<b><span style="font-size:10.0pt;font-family:Arial"> </span></b></p>
 </DIV>
<DIV align=right><FONT color=#783f36
<DIV align=right><FONT face="Book Antiqua" color=#783f36
size=2><STRONG>Miguel Roque</STRONG></FONT></DIV>
</td>
</tr>
</table>
Liberdade Cristã editou às 00:01
link do post | comentar | favorito
|